sexta-feira, 7 de maio de 2010

Visita clandestina...

"Eu passeio por tua estrada quando você não está, porque não quero mais vê-lo ou tocá-lo.

Eu passeio por tua casa quando você não está, mas não vasculho tuas gavetas, teus segredos, a intimidade repousada no silêncio dos teus bolsos, dos armários: contemplo os móveis, os livros, os discos e tudo o que está exposto__só quero a experiência.

Eu passeio por tuas coisas quando você não está, pra aprender com tua casa, tua estrada e o teu mundo a suportar a tua ausência.


Marla de Queiroz

2 comentários:

*Adriana disse...

"Eu passeio por tuas coisas quando você não está, pra aprender com tua casa, tua estrada e o teu mundo a suportar a tua ausência."

Como eu te entendo, Andréa! Tenha força querida, com o tempo ficará a saudade apenas, sem dor...

abçs
Adriana

Andréa_Maçãzinha.com disse...

O tempo, sempre ele...

Será realmente que muda o que precisa ser mudado?

Não creio!!!

Obrigada pela visita.